Pular para o conteúdo principal

Bandas ícones anos 80

O grupo norueguês A-Ha, um dos ícones da música pop dos anos 80 e 90, volta a Belo Horizonte para apresentar a turnê despedida do mais recente álbum “Analogue”. O show acontecerá no dia 14 de março no Chevrolet Hall.

Para alegria dos saudosistas (como eu), as canções “novatas” não tomarão espaço dos maiores sucesso do A-Ha, tais como "Take On Me", "The Sun Always Shines On TV", "Cry Wolf", "Early Morning" e "Crying In The Rain", entre outros.

Oportunidade única para os fãs da banda que ainda não tiveram a possibilidade de assisti-los.

Lembro que em 1991, fui ao show do A-ha num Mineirinho lotado. Eu e uma amiga (Luciane) saímos mais cedo para pegar um bom lugar. Adolescentes empolgados para assistir um dos melhores espetáculos musicais da época. Tive a sensação de que o show acabou em poucos minutos, afinal tudo que é bom dura pouco. Na volta para casa minha amiga só falava do vocalista Morten Harket, que era o sonho de consumo de 10 entre 10 garotas.

Nesse ano também, em companhia da Lu, fomos ao show do Information Society e Kon Kan, isso mesmo, Kon Kan. Aposto que a maioria das pessoas não se recorda dessa banda. Meu Deus, estou ficando velho! Nesse dia, voltando do show sofremos um assalto a mão armada próximo ao Mineirinho. Um grupo de pivetes nos abordou e levaram o meu tênis e agasalho. Meu receio era cortarem o cabelo da Lu uma ação comum na época. Para nossa sorte só levaram bens materiais. O pior seria contar para a mãe da Lu caso algo de mais grave tivesse acontecido, afinal nós mentimos dizendo que iríamos com o pai de um terceiro amigo. Coisas de adolescentes. São histórias inesquecíveis de uma fase mágica da minha vida. Quanta saudade.

Para os que não viveram nessa época veja os dois vídeos do Information Society no Rock in Rio II e Kon Kan. As roupas e o estilo são únicos! Impagável! Vale a pena ver de novo.

Information Society


Ê, ô, Information é um terror!


Kon Kan


Sensacional!

Comentários

Anônimo disse…
VENERO estas bandas dos anos 80 início dos anos 90.... Sem dúvida revolucionaram a música e deixarão verdadeiros tesouros por gerações e gerações.... me sinto privilegiada em ter vivido e fazer parte dessa geração grandiosa e que infelismente hj não se faz músicas como antigamente... A-ha, Information Society, Roxette, New Kids on the block, The Police, Tears for fears, R.E.M, Europe, Kon Kan claro... músicas que tinham como quesito obrigatório: co ri o gra fi as.. nossa d+ Saudades destes tempos em que eu me vestia de Marie Fredriksson (vocalista do Roxette) vestia meu primo de Per Gessle e cantávamos DANGEROUS... RSRSRS... d+ ... Nosa Bí depois dessa vc finge que esqueceu o que acabou de ler... bjos
Anônimo disse…
comentários acima foram feitos por Gisele....
Fabiano disse…
Gi, fico imaginando você de Marie Fredriksson (hehehehe). Mas concordo em gênero, número e grau com o que escreveu. E não se esqueça dia 14/03 tem A-ha. Nos encontramos lá.
Anônimo disse…
Putz, como tô ficando velho... eu lembro do Information Society... kkk

Muito bom mesmo!

D.B.
Amo muito tudo isso...rsrsrs
Alguem pode confirmar se o A-ha realmente fez uma apresentação no Parque de Exposições do Gameleira nos anos 80 ou 90? :-) Me recordo que sim mais estou na dúvida:-)

Postagens mais visitadas deste blog

Jump Fit x Power Jump

Sou professor capacitado do Jump Fit desde 2003. Acompanhei durante esses 07 anos todas as transformações e melhorias que foram necessárias para manter o sucesso da modalidade. Nesse meio tempo, outros programas similares também foram criados provocando uma concorrência nesse segmento no mercado do fitness.
Há poucos dias um colega de profissão me convidou para fazer uma aula de Power Jump da empresa Body Systems. Já tinha ouvido falar do programa, mas nunca havia participado de uma aula. Meu contato com o Jump sempre foi com a Fit-Pró, pioneira no Brasil com esse tipo de modalidade.
Basicamente a estrutura das aulas são similares. A diferença está na forma como é realizado o aquecimento, nas pausas entre coreografias e na duração de algumas músicas. Não tive acesso ao material didático da Body Systems, porém conversei com o professor e as considerações feitas pelo mesmo me permitem fazer as minhas a respeito dos programas.
Nas aulas de Jump Fit existe uma música inteira dedicada ao aque…

Programas de qualidade na TV brasileira

A TV aberta no Brasil passa por um momento onde programa de conteúdo é cada vez mais raridade na programação. Devido ao trabalho acompanho vejo TV com mais frequência à noite e eventualmente nos finais de semana, porém prefiro acompanhar a programação dos canais fechados.
Mas como nem tudo está perdido, dou a dica de cinco programas que na minha modesta opinião vale a pena acompanhar:
1 – Profissão Repórter (Globo – 3ª feira): Uma equipe de jovens jornalistas sob o comando de Caco Barcellos, consegue levar coberturas sólidas em diferentes ângulos de uma mesma notícia. Com maestria o veterano jornalista consegue destacar o processo de profissionalização de jovens recém-formados em cada etapa da matéria, aprendendo na prática a elaborar a reportagem, desde a apuração até a edição final.

2 – A Grande Família (Globo – 5ª feira): Com um texto de primeira linha e um grupo de atores do mais alto gabarito o programa retrata de forma engraçada situações rotineiras de uma família de classe média. …

Valentin

Com pais ausentes e um ambiente familiar conturbado, Valentin é um menino imaginativo, cujo maior sonho é ser uma criança comum, com uma família de verdade. Enquanto tenta consertar as falhas em seu mundo, ele será capaz de trazer alegria, sabedoria e até mesmo romance aos adultos que o cercam.
“Valentin” é um dos filmes mais encantadores que assisti. A história nos emociona do início ao fim. Um drama inocente e cheio de esperança que ficou muito bem narrado por uma criança.
Rodrigo Noya, o protagonista, nos cativa pela sua sensibilidade e inteligência, longe de ser uma daquelas crianças prodígio chatas. O menino é um escândalo de tão bom. Valentin pode ser vesgo e usar óculos fundo de garrafa, mas enxerga perfeitamente o ponto fraco da maioria dos adultos que o cercam.
Outro ponto forte é a química entre os atores. Perfeitos dentro dos seus papéis. Destaque para Carmen Maura, como sempre brilhante em tudo que faz. Elenco nota 10.
Cinema argentino, leve, sensível e de excelente qualidade…