Pular para o conteúdo principal

O vigarista do ano

Clifford Irving (Richard Gere) é um ambicioso escritor que tenta se firmar no mercado. Há muito tempo ele procura sem sucesso uma grande história para contar, até que decide criar uma sobre alguém real. O escolhido é Howard Hughes, um excêntrico milionário que há mais de uma década não aparece em público. Sem ao menos ter chegado próximo do protagonista do livro, a farsa toma proporções jamais imaginadas deixando Irving cada vez mais enrascado nas mentiras que conta.

O filme tem momentos de comédia, mas é um drama que narra a desventura de uma pessoa para conseguir a qualquer custo ser famosa. O roteiro explora o fato de que uma mentira repetida em exaustão pode virar uma verdade.

O ponto fraco é que em vários momentos a história perde o ritmo, tornando-se monótona. Nesse sentido a falta de interesse do espectador poderá dificultar a compreensão do filme.

“O vigarista do ano” funciona bem devido a sua dupla de protagonistas. Gere, sem a sua marca registrada – os cabelos grisalhos – soube interpretar um Irving vigarista e cativante. Mas é o ótimo Alfred Molina (Dick Susskind) no papel do fiel escudeiro do escritor que se destaca mais uma vez com uma atuação consistente.

Mesmo não sendo um filme memorável em nenhum sentido, é entretenimento garantido para os que gostam de histórias baseadas em fatos reais.

Comentários

Nettow disse…
mto fera mano :]
Caio Gomes disse…
richard gere ta parecendo uns 15 anos mais novo nessa foto. deu vontade de ir na locadora baixar esse filme, mas já achei ele aqui na internet pra baixar...

shauhsuahsuha

shoow suas analises, eu baixo os filmes e não me arrependo!

http://deixakieto.blogspot.com/
Mateus disse…
Gosto muito da interpretação de Richard Gere, mas ainda não assisti esse.
Pelo que me falam, é um filme muito bom, e a história é muito interessante.
Já está na minha lista de filmes para assistir.
Abraço
perplife.blogspot.com
Piolho de Cinema disse…
kkkkk curti filmes, ta falando com a pessoa certa, curti muito sua análise do filme e também o blog, caso queira conhecer o meu é so clicar no meu nick
RUANNA disse…
Verei, Richard Gere é muito bom!
Pedro Sombra disse…
Este filme está na minha lista de filmes, mas está longe, beeem longe do topo, confesso. Ultimamente eu tenho assistido mais aos clássicos... cê sabe, O Poderoso Chefão, Touro Indomável, Taxi Driver, Blade Runner... enfim, os que realmente SÃO memoráveis, mas valeu pela dica!

http://coolercheio.blogspot.com/
greg disse…
mto boa a analise!!
sucesso
http://naosentindo.blogspot.com/
Flor Tulipa disse…
Hum vou assistir parece ser muito bom mesmo!
beijokas tulipais
Euzer Lopes disse…
Não sei se eu fui envolvido pelo filme que se houve momentos de narrativa arrastada, eu devo ter entendido aquilo como "tempo para respirar", porque a trama é deliciosamente envolvente.
Charles K. disse…
Richard Gere sempre faz filmes bons, esse apesar de você ter citado que parece ser em certos momentos desinteressaste, eu vou aluga-lo para assistir.
fael_blogger disse…
assistirei com toda a certeza , bela critica , parabens
Karla Hack disse…
è um filme bem interessante de se ver, já que a história é muito boa... Confesso que gostei do desfecho e da atuação do Richard Gere...
Com certeza uma Boa Pedida!!
;D

Postagens mais visitadas deste blog

Jump Fit x Power Jump

Sou professor capacitado do Jump Fit desde 2003. Acompanhei durante esses 07 anos todas as transformações e melhorias que foram necessárias para manter o sucesso da modalidade. Nesse meio tempo, outros programas similares também foram criados provocando uma concorrência nesse segmento no mercado do fitness.
Há poucos dias um colega de profissão me convidou para fazer uma aula de Power Jump da empresa Body Systems. Já tinha ouvido falar do programa, mas nunca havia participado de uma aula. Meu contato com o Jump sempre foi com a Fit-Pró, pioneira no Brasil com esse tipo de modalidade.
Basicamente a estrutura das aulas são similares. A diferença está na forma como é realizado o aquecimento, nas pausas entre coreografias e na duração de algumas músicas. Não tive acesso ao material didático da Body Systems, porém conversei com o professor e as considerações feitas pelo mesmo me permitem fazer as minhas a respeito dos programas.
Nas aulas de Jump Fit existe uma música inteira dedicada ao aque…

Programas de qualidade na TV brasileira

A TV aberta no Brasil passa por um momento onde programa de conteúdo é cada vez mais raridade na programação. Devido ao trabalho acompanho vejo TV com mais frequência à noite e eventualmente nos finais de semana, porém prefiro acompanhar a programação dos canais fechados.
Mas como nem tudo está perdido, dou a dica de cinco programas que na minha modesta opinião vale a pena acompanhar:
1 – Profissão Repórter (Globo – 3ª feira): Uma equipe de jovens jornalistas sob o comando de Caco Barcellos, consegue levar coberturas sólidas em diferentes ângulos de uma mesma notícia. Com maestria o veterano jornalista consegue destacar o processo de profissionalização de jovens recém-formados em cada etapa da matéria, aprendendo na prática a elaborar a reportagem, desde a apuração até a edição final.

2 – A Grande Família (Globo – 5ª feira): Com um texto de primeira linha e um grupo de atores do mais alto gabarito o programa retrata de forma engraçada situações rotineiras de uma família de classe média. …

Valentin

Com pais ausentes e um ambiente familiar conturbado, Valentin é um menino imaginativo, cujo maior sonho é ser uma criança comum, com uma família de verdade. Enquanto tenta consertar as falhas em seu mundo, ele será capaz de trazer alegria, sabedoria e até mesmo romance aos adultos que o cercam.
“Valentin” é um dos filmes mais encantadores que assisti. A história nos emociona do início ao fim. Um drama inocente e cheio de esperança que ficou muito bem narrado por uma criança.
Rodrigo Noya, o protagonista, nos cativa pela sua sensibilidade e inteligência, longe de ser uma daquelas crianças prodígio chatas. O menino é um escândalo de tão bom. Valentin pode ser vesgo e usar óculos fundo de garrafa, mas enxerga perfeitamente o ponto fraco da maioria dos adultos que o cercam.
Outro ponto forte é a química entre os atores. Perfeitos dentro dos seus papéis. Destaque para Carmen Maura, como sempre brilhante em tudo que faz. Elenco nota 10.
Cinema argentino, leve, sensível e de excelente qualidade…